Pacto pelo Pantanal lança série de vídeos sobre Pagamento por Serviço Ambiental (PSA)

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

O Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal lança uma série de vídeos sobre Pagamento por Serviço Ambiental (PSA).

Dividida em 05 capítulos, a série de explica o conceito do PSA, trazendo informações sobre políticas públicas, fundos, regulação e experiências no Brasil.

O intuito dessa série é comunicarmos o PSA de maneira mais palatável e acessível. Trata-se de uma obra de caráter experimental e que tem como público prioritário os funcionários de prefeituras, Secretarias de Meio Ambiente, Agricultura, Infraestrutura, produtores e população de toda a região do Pacto em Defesa das Cabeceiras do Pantanal. Área que atualmente possui dois programas de PSA em execução (Produtor de Águas – ANA), Tangará da Serra e Mirassol D’ Oeste. A produção foi apoiada pelo WWF-Brasil, Escola Aberta do 3º Setor.

Segundo Breno Melo, Analista de Conservação do WWF-Brasil, o objetivo é que outros municípios da BAP possam vir à aderir a algum tipo de PSA. “Essas são as áreas de maior contribuição hídrica para o Pantanal, as chamadas caixas d’água. São as porções altas dos rios Paraguai, Sepotuba, Jauru e Cabaçal, que fornecem quase 30% das águas que mantém o pulso de inundação da planície pantaneira, no estado do Mato Grosso, conforme o estudo ‘Análise de Risco Ecológico da Bacia do Rio Paraguai’. ”

Confira toda a série aqui:

O que é PSA?

PSA é um instrumento econômico que busca recompensar financeiramente produtores que promovem a preservação e conservação dos serviços providos pelos ecossistemas (os chamados serviços ecossistêmicos).

O PSA é um instrumento econômico que busca recompensar todo aquele que, em virtude de suas práticas de conservação, proteção, manejo e recuperação de ecossistemas, mantém ou incrementa o fornecimento de um serviço ecossistêmico (benefícios providos pela natureza).

Esses serviços ecossistêmicos incluem, entre outros:

•             a regulação do clima

•             a manutenção da fertilidade e o controle da erosão dos solos

•             o armazenamento de carbono

•             a ciclagem de nutrientes

•             o provimento de água

•             a proteção da biodiversidade, a beleza cênica e a

•             manutenção de recursos genéticos.

A adoção de políticas de incentivo como o instrumento de pagamento por serviços ambientais (PSA) tem sido uma alternativa recente na política pública ambiental com vistas a estimular a proteção e conservação dos ecossistemas.

Links:

https://www.wwf.org.br/natureza_brasileira/reducao_de_impactos2/programa_ciencias/textos_15012018/indice_risco_ecologico_15012018/

http://www.fjpn.com.br/

Explore
O que as instituições ganham ao assinar o pacto?

O Pacto não arrecada e não arrecadará recursos financeiros específicos para seu funcionamento. Portanto, para alcançarmos os objetivos comuns, cada instituição quando o assina se compromete a usar recursos humanos e financeiros próprios para alcançar os objetivos comuns.