Pacto participa da limpeza do rio Cuiabá

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Sábado, 4 de junho, 7h. Dia nublado, ameaçando chuva. Mesmo assim a Praça do Porto, Em Cuiabá, já estava lotada.

Centenas de voluntários, entre cidadãos e autoridades, esperavam pelo anúncio no microfone alertando que já era possível começar a limpeza das margens do rio Cuiabá, em frente à Praça.

Munidos de grandes sacos de ráfia, luvas grossas de borracha e boa vontade, centenas de voluntários se espalharam pela cidade para cuidar o rio que leva o nome da capital mato-grossense. Rosângela Costa, 34 anos, é uma delas.”Precisamos entender que o rio é vivo e que ele dá vida também. Ele garante o sustento de pescadores, alimenta a população, serve de meio de transporte e é a casa de animais e plantas. Não podemos permitir que ele continue assim, tão abandonado”, disse

Gabriela Silva de apenas 11 anos participou da ação com os pais e se assustou com o que viu. “Dá vontade de chorar. Não acreditei que tinha tanto lixo”.

A ação foi organizada pela Teoria Verde e Amigos do rio Cuiabá.

Segundo a Teoria Verde, centenas de voluntários, mais de500, retiraram 30 toneladas de lixo das margens urbanas do rio Cuiabá durante pouco mais de cinco horas. “Esses números impressionam e mostram que as pessoas estão a cada dia mais conscientizadas e mais preocupadas com a situação da nossa natureza. Temos que cuidar dela proque cuidar dela é cuidar da gente”, diz Jean Peliciaria, da Teoria Verde.

O rio Cuiabá

A Bacia do Rio Cuiabá é importante na formação do Pantanal Mato-grossense e para outras partes do Brasil e do mundo, mas, sobre tudo em um contexto regional, é muito importante pela sobrevivência de cerca de 75% da população do estado de Mato Grosso

O Cuiabá é o rio que mais deposita água no Pantanal mato-grossense. Segundo dados da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) possui 828quilômetros de extensão.

Dos seus 29 afluentes, 19 estão mortos. São 17 contribuintes na margem esquerda; 10 vivem tragicamente, quase secos, constituindo-se em poças

de água.

O Diário de Cuiabá publicou há alguns anos um especial sobre o rio.  Clique aqui  e leia a íntegra.

Quer saber como foi? Quer se ver durante a ação?    e veja a galeria de fotos. Clique aqui

Explore
O que as instituições ganham ao assinar o pacto?

O Pacto não arrecada e não arrecadará recursos financeiros específicos para seu funcionamento. Portanto, para alcançarmos os objetivos comuns, cada instituição quando o assina se compromete a usar recursos humanos e financeiros próprios para alcançar os objetivos comuns.