Diamantino realiza mutirão de descarte de material eletrônico

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

Você sabia que Diamantino recebeu Certificados pela destinação de forma ambiental e socialmente correta, de acordo com a Lei Federal Nº 12.305/2010 devido ao desempenho durante o 1ºMutirão de Descarte do Material Eletrônico?

Agora aPrefeitura realiza de 1 a 10 de junho o 2º Mutirão. As lojas de assistência técnicas (eletrônicas) situadas na cidade são pontos de coleta do material e receberão destinação ecologicamente correta.

As cargas dos materiais eletrônicos inservíveis são recicladas preservando o meio ambiente. “Caso não sejam descartados corretamente esses resíduos podem contaminar o solo e o lençol freático, pois trazem mais de 60 tipos diferentes de substâncias, muitas delas tóxicas e, portanto, nocivas à saúde das pessoas”, afirmou o prefeito Juviano Lincoln.

A política de reciclagem promovida pelo Governo Municipal visa transformar materiais usados em novos produtos com vista à sua reutilização, e contribui para a diminuição significativa da poluição do solo, da água e do ar. “Estamos com a operação ‘Cidade Nossa, Cidade Limpa’ que age em diversas frentes para trabalhar no embelezamento de Diamantino, com esse intuito também realizamos o mutirão, atingindo nossa responsabilidade socioambiental”, explicou o prefeito.

De acordo com a empresa EcoDescarte, os computadores, placas eletrônicas, monitores, notebooks, impressoras, nobreaks, modens, aparelhos de fax, celulares antigos, ou qualquer outro material movido a energia elétrica ou bateria, em desuso numa residência, escritório ou empresa, pode ser considerado lixo eletrônico e, portanto, deve ser descartado da forma correta, para não provocar danos ao meio ambiente.

Para mensurar a necessidade do descarte correto, estudo encomendado pela Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI) revela que a quantidade de lixo eletrônico produzida no Brasil, considerando-se os eletrônicos de grande e pequeno porte, chegou a 918 mil toneladas em 2013.

Fique sabendo:

O resíduo eletrônico se for descartado de maneira inadequada, torna-se um sério problema para o meio ambiente, pois possui em sua composição metais pesados altamente tóxicos, que em contato com o solo contamina o lençol freático e se for incinerado libera toxinas perigosas.

Depois de coletado, o “lixo digital” passa por um processo de manufatura reversa, onde é desmontado e cada material retirado é classificado. As substâncias tóxicas devem ser neutralizadas, utilizando-se diversos processos químicos.

Texto e imagem: prefeitura de Diamantino

Explore
O que as instituições ganham ao assinar o pacto?

O Pacto não arrecada e não arrecadará recursos financeiros específicos para seu funcionamento. Portanto, para alcançarmos os objetivos comuns, cada instituição quando o assina se compromete a usar recursos humanos e financeiros próprios para alcançar os objetivos comuns.