Saneamento básico é tema de debate em Barra do Bugres

Compartilhe

Share on facebook
Share on linkedin
Share on twitter
Share on email

A prefeitura de Barra do Bugres debateu, no último dia 18, com os gestores, técnicos e comunidade, aelaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico (PMSB).

Segundo a chefe do departamento de Meio Ambiente, Luciana Souto, engenheiros sanitaristas percorreram várias localidades do municípiopara colher dados e, assim, discutirem o diagnóstico e o prognóstico do Plano com a população. “Barra do Bugres vem realizando mobilizações sociais mensais com palestras sobre o Plano. A participação social é muito importante porque o Plano vai se tornar lei e a população deve estar bem informada”, diz Luciana.

O engenheiro sanitarista e coordenador da equipe da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) , Bruno Leonel Rossi, é responsável pelos trabalhos em Barra do Bugres. “Estivemos aqui em novembro e fizemos um levantamento de Barra do Bugres. Agora estamos levantando os problemas da área rural e quarta-feira estaremos apresentando para a população as soluções propostas para o nosso plano, estaremos também abrindo o debate com a população para ouvir, discutir e chegar a um consenso sobre o que deveremos fazer aqui no município com o aval também dessa população que estará participando do debate”, explicou.

Outro problema a ser discutido será o lixão que há anos vem apresentando problemas para a população, “No lixão estamos propondo um aterro sanitário consorciado entre municípios para que seja levado para uma área somente onde será tratado e destinado corretamente o lixo que é um problema não só em Barra do Bugres mas na maioria dos municípios do Estado”, disse Leonel Rossi.

Nos outros municípios a população tem participado ativamente onde a reunião tem passado, provocando um senso crítico e interesse maior na questão ambiental, principalmente em se tratando do lixo. A expectativa é de que a reunião desta quarta seja produtiva e uma solução definitiva seja apresentada para ser estruturada na prática.

Explore
O que as instituições ganham ao assinar o pacto?

O Pacto não arrecada e não arrecadará recursos financeiros específicos para seu funcionamento. Portanto, para alcançarmos os objetivos comuns, cada instituição quando o assina se compromete a usar recursos humanos e financeiros próprios para alcançar os objetivos comuns.